Moonrise Kingdom




Título: Moonrise Kingdom
Direção: Wes Anderson
Roteiro: Wes Anderson e Roman Coppola
Categoria:Romance/Comédia/Drama
Duração: 94 minutos
Ano: 2012
Nacionalidade: Estados Unidos
Classificação: 12 anos
Nota: 5 estrelas!!!






Sinopse: Anos 60, em uma pequena ilha localizada na costa da Nova Inglaterra. Sam (Jared Gilman) e Suzy (Kara Hayward) sentem-se deslocados em meio às pessoas com que convivem. Após se conhecerem em uma peça teatral na qual Suzy atuava, eles passam a trocar cartas regularmente. Um dia, resolvem deixar tudo para trás e fugir juntos. O que não esperavam era que os pais de Suzy (Bill Murray e Frances McDormand), o capitão Sharp (Bruce Willis) e o escoteiro-chefe Ward (Edward Norton) fizessem todo o possível para reencontrá-los.


Comentário: Há cerca de dois anos atrás,estava na casa de minha tia,e peguei o finzinho desse filme,então anotei o nome,e disse pra mim mesma,que precisava começar do início e ir até o fim.Só que em viagem a gente acaba perdendo uma coisa ou outra,e dessa vez,perdi minha nota...E um dia desses,mexendo aqui e ali,acabei me deparando com um vídeo falando sobre ele,de início não associei ao nome,mas quando começou a falar basicamente o que era,fiquei looouca,enfim o tinha achado!


Algo notável,é que mesmo sem tê-lo assistido,de primeiro,do começo,consegui sentir a essência,sua necessidade,seu alcance,intenção.Isso ocorreu por ser um filme preocupado com as minúcias,são elas que nos dão as pistas para compreendermos os problemas que cada um enfrenta.


Sabe quando a gente é criança,e tem aquela ideia maluca de fugir de casa?Bem,eu já tive,imaginei situações,arrumei bolsas,criei amigos fictícios...Mas nunca Fugi,acho que faltou um real motivo - na verdade,os desenhos tiveram um papel instigante kkkkk - e acima de tudo,um amigo como o Sam.E que amigo,a todo instante queria assegurar a Suzy que ele já era um “homem” - pra não restar dúvidas,que ela fez uma boa escolha - e assim sabia extrair água de pedras e achar a direção do vento,e foi tão interessante vê isso,eles viviam com suas próprias certezas e inocências.Por serem crianças que não eram ensinadas sobre as coisas da vida e nem zeladas, negligenciadas por seus responsáveis,acabaram tomando pra si a tarefa de buscarem sua felicidade...Dessa maneira eu penso,com que direito os ditos adultos têm em julgá-los?


 A capacidade que esses dois têm em cativar ao espectador é incrível,entrei naquela historia de maneira tão intensa ,e acredito que um dois motivos,é o fato de ter sido convidada pelo olhar ousado de Suzy,ainda no início da trama,uma quebra da 4 parede,achei genial,pois no decorrer do filme,sentia que estava ali,espiando tudo por um binóculo,como ela fazia.Fiquei com a percepção de Gulliver,de uma “gigante”,vendo tudo aquilo,a parecer como uma casinha de boneca,e acho que essa foi a intenção...Que de longe tudo parece ser perfeito,mas de perto....


E tudo isso,é alimentado por uma riqueza de elementos curiosos,afinal porquê uma pessoa precisava de  um MEGAFONE pra ser escutada em sua casa??Por que Suzy precisa de um binóculo ao seu lado? Por que a casa tem uma constituição tão perfeita,não há sequer uma parede descascada,ou coisa fora do lugar?


Bem,e essa é minha primeira indicação de filme para 2016,mais um ano,mais possibilidades e mais um recomeço,pois algo esta errado,e precisamos mudar!!!! Xero,Xero!

 Até mais ver.

Nenhum comentário:

Postar um comentário